segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Terra e Ar

Como pode irmãos de mesmo pais, com a mesma educação, serem tao diferentes? Me assusta o quanto a Manu e o Lucas sao diferentes, diferentes na personalidade, na forma como encaram a vida, como se relacionam...

Manu eh destemida. Lucas morre de medo de absolutamente tudo, sua primeira reação ao perguntado se quer experimentar algo novo eh dizer: não, medo!

Manu com 3 anos já era uma peixinha na agua, cruzava a piscina nadando. Lucas com três ainda se assusta e choraminga todas as vezes que a professora mergulha ele.

Manu eh tímida, apegada. Lucas eh porra louca, já chega nos lugares e se solta. Manu fica grudada na barra da saia.

Manu eh forte. Lucas eh chorão.

Manu sempre conquistou as coisas, os marcos, cedo. Lucas tem o tempo dele, e esse tempo eh num ritmo baiano de ser...uma hora ele chega la.

Manu não brinca sozinha, eh raro. Lucas ao contrario, passa horas brincando no quarto dele ou na Manu, inventando historias, falas, roteiros.

Manu eh Terra. Lucas eh Ar. Se ela eh pe no chão, ele deixa a imaginação levar longe.

Mas tem uma coisa que eles sao parecidos: os dois são a cara do pai!!!

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Nostalgia

Vcs alguma vez ja tiveram saudades da epoca em que vcs ainda nao tinham filhos? Em que sua unica preocupaçao era trabalhar e pagar as contas? Quando seu tempo livre era todo dedicado a vc e a seu marido...ou melhor, quando vc tinha tempo livre?

Ando nostalgica!

Esses dias fazendo um rapa nos armarios achei os albuns com fotos de quando comecamos a namorar, das viagens que fizemos, da lua de mel...nem rugas tinhamos no rosto (e olha que so faz 11 anos que casamos) - alias, li em algum lugar que um filho nos faz envelhecer 11 anos, tai a explicacao das rugas de hoje. Sei la, essas fotos me tocaram..me deram um aperto no peito. Me olhei, magra, feliz, com um brilho que so quem leva uma vida leve tem. E olha que eu ja tinha passado dos 30 nessas fotos.

Mas eram tempos assim mesmo, leves, em que o trabalho preenchia nossos dias e nos dois preenchiamos nossas noites. Em que tudo era motivo para sair, comemorar..nao havia tempo ruim. Nao havia desculpa para curtir e aproveitar a vida. Nao havia preocupação com grana, com filhos, com o mundo.

Sinto falta dessa leveza!

Ate hoje, sempre que vou no bairro onde moramos assim que casamos, me da um aperto. Eramos muito felizes la e olha que a Manu viveu la tb. Parecia que nossa vida naquela epoca era muito mais simples. Nao estou dizendo que nao somos felizes hoje, somos, mas eh uma felicidade diferente, nao sei explicar.

Amo meus filhos, amo ve-los crescer, amo cada descoberta deles, amo o carinho, amo ver o quao importante eu sou para eles e o quanto seus olhinhos sorriem quando me encontram. Mas junto com esse amor todo, veio um caminhão de outras coisas, uma sobrecarga de trabalho, de preocupaçao, de atencao, deixando muito pouco espaco para a leveza, para o "deixe a vida me levar"..os dias sao corridos, atropelados, quando vc se da conta ja sao 10 horas da noite e vc nao conseguiu sequer respirar...e eu preciso respirar!!

Saudades de quando chegava do trabalho e me jogava no sofa, com a cabeca no colo no marido...quando o unico trabalho era escolher o sabor da pizza que iamos pedir!

Saudades!

Em tempo, em nenhum momento me arrependo de ter tido filhos, nao, acho que minha vida hoje eh muito mais completa e so de pensar nela sem eles, me rasga o coração...eu so, as vezes, queria que ela fosse mais simples!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

quarta-feira, 31 de maio de 2017

E quando a mãe é que precisa ser cuidada?

Ja faz um mes que venho me sentindo estranhamente desanimada, extremamente cansada, sem paciencia, vontade de ficar na cama, cancelando compromissos e me arrastando para os inadiaveis.

Ha um mes atras percebi tambem que ate as conversas nos meus grupos de zapzap tinham perdido o brilho. Eu ja nao respondia. Eu lia, mas nao tinha saco para responder.

Tambem percebi que comecei a comer compulsivamente. Ja nao estava satisfeita com meu corpo, estou beeeem acima do meu peso e de repente nao conseguia párar de comer, o que resultou em mais 5 kilos e uma piora consideravel na minha auto-estima, no meu animo.

E foi numa conversa com duas amigas que de repente a caixa de pandora se abriu e eu finalmente consegui colocar para fora td o que vinha sentindo, mas que nao estava permitindo ter contato, afinal, eu tinha que me sentir bem para conseguir fazer  td que precisava resolver das criancas, da casa, do marido, da vida..eu tinha que me sentir bem para cuidar das criancas..,mas mesmo eu querendo, eu nao estava conseguindo...eu estava lutando para conseguir manter pelo menos a cabeca para fora da agua!

Quando contei para minha terapeuta a conversa com as amigas, ela, que ja estava desconfiada, me mandou para a psiquiatra, que identificou sinais bem claros de depressão!

Depressão!

Eu, que sempre fui uma pessoa super alto astral, super animada, pro ativa, topa tudo, estou com depressão. Se por um lado me assustou estar assim, por outro me trouxe alivio, pois finalmente entendi que o que eu estava vivenciando nao era normal, nao era eu e, gracas a deus, tem tratamento.

Faz 5 dias que comecei a medicacao. Segundo a medica leva umas 3 semanas para o remedio comecar a surtir efeito. Por enqto td que tenho sentido eh sono, muito sono. Nao vejo a hora. Ate la sigo caminhando, um dia de cada vez, entre altos e baixos.

Eh, chegou a hora da mae ser cuidada...afinal, se a mae nao fica bem, ninguem mais fica, nao eh?


domingo, 28 de maio de 2017

Noites insones

Lucas NUNCA dormiu uma noite inteira. Nunca, nunquinha, jamé!! E la se vao mais de 2 anos sem uma boa noite de sono. Chegamos, eu e marido, no nosso limite. Estou naquele ponto em que qdo escuto ele chorar a noite eu xingo ate a sua terceira geração, choro e me rastejo ate seu quarto, com a paciência no chinelo.

Ta phoda!!

Ele chora dormindo. Ele grita dormindo. Essa noite ele teve crises desesperadoras de choro, aquele choro assustado, de soluçar. So se acalmava no meu colo. Depois de quase 2 horas de choro, não aguentei e dei Alivium. Eu precisava dormir. Ele precisava relaxar.

Já benzi. Já rezei. Já coloquei copo de agua ao lado da cama. Já deixei luz acesa. Já implorei a todos os santos. Nada resolve.

Semana passada, na pediatra, pedi uma homeopatia. Eh minha ultima tentativa....

Não sei o que esta acontecendo. Não sei no que estou errando. A sensação que tenho eh que o Lucas não desliga, mesmo qdo dorme, então seu sono fica sempre muito agitado. Espero que a homeopatia resolva.

Se não resolver, vou ter que partir para um tarja preta...pra MIM!!

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Menas Mae

Nessas ultimas semanas eu ganhei o trofeu de Menas Mae!! Sabe qdo rola uma pisada de bola atras da outra? Vejam alguns exemplos:

1. Festinha de Dia das Maes na escola do Lucas. Chegamos atrasados. Qdo cheguei a turminha dele tinha acabado de se apresentar e eu perdiiiiiiii a primeira apresentacao do gordo...buaaaa...dano irreparavel, para mim, eh claro. Pra ele, nem tchum.

2. Na sequencia teve Dia da Familia na escola da Manu...sai da celebração da escola do Lucas, fui correndo para casa pegar marido e filha e corri para a escola da Manu e mais uma vez atrasada. Chegamos quando faltava apenas 20 minutos para acabar as brincadeiras e os monitores ja estavam recolhendo os materiais. Sorte que a Manu nem se tocou!

3. Sogra deu dinheiro para a Manu escolher o presente de aniversario. Fui com ela na loja, num dia corrido..ela tinha 20 minutos para escolher..para ainda ir para casa, almocar e escola. Eu pilhada. Qdo ela finalmente escolheu, corri pro caixa e cade a carteira? Esqueci na outra bolsa!! Manu saiu de maos abanando e eu me sentindo pessima..alem de envergonhada!!

4. Esqueci totalmente de comprar dois livros que a escola pediu. Prazo para entregar era semana passada. Ja veio bilhete da professora. E pergunta se acho os livros para comprar? Estao em falta. Os que tinham na papelaria da escola as maes que nao sao nem um pouco menas maes, compraram todos.

Fala serio...e o trofeu de Menas Mae vai para..........................

terça-feira, 23 de maio de 2017

Terapia pra Manu

A nao ser que seu filho tenho algum comportamento muito diferente do resto das criancas da idade, acho sempre muito complicado a gente sacar quando nosso filho esta realmente precisando de uma ajudinha extra, vulgo terapia, para lidar com algumas questões.

As vezes a gente pode olhar para a crianca e dizer, ah eh fase, ja ja passa. Ou entao, pensar, nossa, que engracado, eu tambem era assim quando tinha essa idade. Ou entao, ahhh, com amor, disciplina e muito encorajamento, logo logo ela melhora. Deixa comigo!

Pois eh..mas as vezes o deixa comigo nao é suficiente. Faz uns meses que venho ensaiando em levar a Manu para a terapia. Ja conversei com amigas minhas, com a minha terapeuta e ontem, na consulta com a pediatra dela eu comentei com ela e ela disse que mal nao ia fazer.

Manu eh uma criança linda, amigavel, timida no ponto certo..mas ela tem uma inseguranca que as vezes me assusta...tambem tem um apego comigo, que se por um lado eu acho otimo e lindo (eeeeeh), por outro sei que a impede de explorar..ela morre de medo de me perder (nao estou falando de morte e sim de eu sumir)...

Sao coisas pequenas, pontuais, mas que eu nesses ultimos anos nao estou conseguindo reverter...eu era assim quando crianca e por conta disso eu sofri muito, com baixa auto estima, inseguranca, sensacao de que eu nao era capaz ou boa o suficiente...foram anos de terapia, depois de grande, para reverter isso. Hoje eu olho para tras e lembro de episodios e penso que poderia ter sido diferente.

Nao quero isso para a Manu. Quero que ela preserve as caracteristicas que a tornam quem ela eh hoje, mas tambem quero que ela saiba e sinta dentro dela, que ela eh capaz, que ela eh bonita, que ela tem todos os elementos necessarios para caminhar com seguranca.

Essa semana vou pedir indicacao na escola de uma terapeuta aqui no bairro e vou marcar uma consulta. Segundo a pediatra, eh algo simples, sera jogo rapido, mas que trara um beneficio imensuravel. Assim espero!