terça-feira, 14 de abril de 2015

Consulta com a terapeuta

Ontem tivemos uma consulta com a terapeuta...eu achava que ela fosse TO, mas não, eh psicóloga com  experiência em transtorno global. Conversamos, conversamos, quis saber de td, desde se a gravidez foi planejada, ate como foi o parto e o diabo a quatro.

Durante a consulta o Lucas mamou, ficou acordado olhando para todos os lados...enfim, ficamos quase 2 horas la com a mulher.

Conclusao: nenhuma, kkk.

Sei la, sai da consulta mais perdida do que qq coisa. Tipo, logico, ela percebeu e nos falou que sim, o Lucas não firma o olhar, quase não capta nossos olhos, mas tb afirmou que ele ainda eh muito pequenino, nada eh certo, não da pra dizer nada sobre o seu desenvolvimento.

Ou seja, sai perdida, sem qq resposta para minha angustia, me questionando qual na verdade eh a função dela, tipo, no que ela pode nos ajudar...fiquei de voltar nela daqui a 15 dias, mas ainda me questiono pra que?

Enfim...não acho que a sessão com a terapeuta ajudou em alguma coisa, talvez ajude a mim e não ao Lucas, a mim a segurar a minha angustia, acalmar meu coração...sei la.

Uma coisa eu decidi, vou dar um mês de prazo ao Lucas, ate ele completar 3 meses, afinal, eh como todos dizem, ele ainda eh muito pequenino. Se ate la, nada melhorar muito, ele continuar disperso, sem interação, então vou pegar a opinião de um segundo pediatra e talvez ir atrás de um neuro.

So fico pensando se o neuro não vai olhar pra minha cara e dizer: volte qdo ele tiver 6 meses!!

Essa espera mata!



7 comentários:

Elaine Canha disse...

Minha filha tinha dois anos, estava no berçário. A pedagoga conversou comigo e sugeriu que minha filha tivesse autismo, pois não demonstrava interesse em socializar. A Neuro disse quen não podia falar nada a respeito a não ser depois de um ano de escola. Ela está na escola desde janeiro e melhorou em muito.
Tenha paciência. Eles tem ritmos diferentes, inclusive para habilidades diferentes.

Elaine Canha disse...

E por essa foto que você postou dos dois, não achei ele disperso

Casamento feliz disse...

as vezes os médicos mais atrapalham do que ajudam ... Força Rê . Beijos

Luciane Baratelli disse...

Oi Re, sou neurologista infantil, e quando tenho um tempo livre gosto de ler blogs maternos, pois pretendo ter filhos em breve. Cai no seu blog por acaso, e apesar de não comentar quase nunca, me sensibilizei com a sua história e espero poder ajudar.

Entendo a sua angústia, é realmente muito difícil perceber algo de diferente no nosso bebê e não saber o que é. Mas em alguns casos é necessário ter um pouquinho de paciência e fé que tudo irá ficar bem.

Algumas alterações não podem mesmo ser diagnosticadas tão precocemente. É impossível olhar para um bebê tão pequeno e dizer que ele é autista, por exemplo. É necessário que a criança apresente um nível de desenvolvimento maior, para que outros fatores possam ser observados.

Mesmo assim, é importante para a criança ser avaliada por um profissional precocemente. Mesmo que não seja possível descobrir o que ele tem na primeira consulta (o que é provável), não significa que nada poderá ser feito com ele. Pelo contrário, você poderá confirmar se ele está realmente com o desenvolvimento diferente do esperado para a idade (ou se é só alguma variação da normalidade). E caso esteja, poderá investigar logo o que está acontecendo e estimulá-lo adequadamente. Não guarde essa angústia para si, tente procurar uma segunda opinião, procure alguém que te acolha.

Um beijo

Cláudia Leite disse...

é, esperar por um futuro incerto é angustiante mesmo!
Busque outras opiniões!

Mas para Deus, tudo é possível, então peça à ele que tudo fique bem!

bjo!

Marianne Moncaio disse...

Olá,

Me sensibilizei com seu post. Realmente deve ser muito angustiante a sua situação, não sei o que dizer, quero apenas desejar tudo de melhor para você e para o seu filho. Tenho certeza que vocês irão encarar todos os desafios juntos, e Deus estará ao seu lado.

Vi disse...

Ja pensou ir num oftalmologista?????