sexta-feira, 6 de maio de 2011

Como é grande o meu amor por você!

Nunca idealizei aquela cena de quando o medico traz o bebe recem-nascido e a mãe, de cara, se apaixona pela sua cria e chora. Nunca. Alias, muitas das minhas amigas admitiram que o amor pelo seu filho recem-nascido, nao necessariamente surgiu no momento que o viram, mas sim que ele surgiu aos poucos e foi crescendo a cada minuto, a cada hora, a cada dia que vc convive com ele e cria um vinculo único de mãe e filho.

Por isso nao tenho (ou tinha) nenhuma expectativa de me apaixonar logo de cara pela Manuela..eh, ok, sei que isso eh muito seco de se dizer, mas eh serio. Prefiro nao criar expectativa e me surpreender, do que cria-las e me frustar e ai me cobrar por isso.

Mas vou confessar uma coisa, algo dentro de mim mudou e muito nessa ultima semana. Logico, a medida que o bebe cresce dentro de vc e vc o sente cada vez mais forte, mais proximo, vc começa a criar um vinculo e um carinho por aquele serzinho, afinal, so vc e ele eh que tem essa ligação toda, mais ninguem (pelo menos ate ele nascer). Voce o sente, vc o acaricia atraves da barriga, vc conversa com ele e ele, muitas vezes, responde com um belo chute. Tudo isso eh o vinculo mae e filho se formando, de um jeito que so Deus sabe explicar. Mas e aquele amor??

Pois bem, fora o carinho, estava crente que o amor, aquele unico e especial amor de mae so viria quando eu tivesse a Manuela em meus braços e pudesse ve-la, senti-la, abraça-la, beija-la..mas eis que hoje, enquanto me dirigia ao supermercado (sim, continuo motorizada), me peguei acariciando o seu pezinho (sempre que faço isso, devagarzinho ela vai recolhendo o pe - será que tem cocegas? rs) e dizendo para ela que nao via a hora de morder aquele pezinho gordo, gostoso...e ao fazer isso fui invadida por uma sensação de amor tão grande, algo inexplicavel que até hj nao tinha sentido..era como se meu coração estivesse transbordando de amor por minha filha (aquele amor que eu achava que so viria depois que ela nascesse)...um sentimento diferente, mais forte que o carinho e o vinculo que vinhamos tendo uma com a outra. Era amor, puro amor!

5 comentários:

Than disse...

RE, É BEM ISSO...QDO O BEBE NASCE E LEVAM ELE ATÉ VC NEM DA TEMPO DAQUELE AMOR IMENSO ACONTECER NE...É TAO RAPIDO, TEM TANTA GENTE JUNTO, TANTO APARELHO APITANDO...Q NAO DA. CLARO Q A EMOÇÃO É INEXPLICAVEL PQ VC NAO CONSEGUE ENTENDER Q AQUELE SERZINHO LINDO SAIU DE VC, OU MELHOR, ESTAVA LA DENTRO DE VC...É MALUCO!
O AMOR CRESCE E ACONTECE AOS POUCOS.
MAS ISSO Q VC DESCREVE É UMA DELICIA DE SENTIR! O MAIS PURO AMOR...SÓ HA DE AUMENTAR!

BEIJOS

Ci disse...

Hahaha...vc realmente pensa como eu...por isso amo ler seu blog Rê! Bjoo, Ci

Chris Ferreira disse...

Oi Rê,
é um momento muitissimo especial mesmo.

Aproveito para desejar um Dia das Mães maravilhoso cercado de carinhos e beijinhos.

beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Larissa Damiani disse...

Oi Rê.. Eu ainda não sou mamy e estou com um certa dificuladade...estou fazendo vários teste. Mas ocorre que mesmo ainda não tendo meu baby, sei que um dia terei e já o amo. Imagino que esse amor que você sentiu só de tocar o pé dela, já fez você viver o amor incondicional de mãe. Que a Manu venha linda e te traga muitas felicidades....

Evelyn disse...

Que lindo!
Chorei...