segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Relato do meu VBAC

Durante a minha gestação eu li vários relatos de parto normal, alguns de VBAC, sem saber se eu também teria meu tão sonhado relato de parto normal. E aqui estou, escrevendo meu relato.

Na verdade meu relato começa há quase 4 anos atrás, quando Manu nasceu de uma cesarea, não eletiva, mas tb não necessária. Veio no dia dela, após 10 horas de TP. Naquele dia nasceu em mim a vontade de fazer diferente no próximo filho. Lembro que, mesmo após meses, ate anos, depois que ela nasceu, eu chorava no banho so de visualizar como seria o nascimento do meu próximo filho. Eu visualizava as dores, eu fazendo força e ele vindo aos meus bracos e chorava, chorava como se naquele momento eu estivesse sentindo todas as emoções que eu sentiria. Coisa de louco, eu sei.

E a trajetória ate a realização desse sonho foi longa e começou um ano após o nascimento da Manu, quando voltei ao meu GO para consulta de rotina e mencionei a ele minha vontade de tentar um PN no próximo parto. A resposta dele foi taxativa, uma vez cesarea, sempre cesarea. Sai de la para nunca mais voltar.

Passados 6 meses fui em outra medica, amei ela, mas ela apesar de não ser contra VBAC, também não era super a favor. Disse que faria, como já fez, mas para isso o TP tinha que caminhar rápido e tranquilo. Fiquei pensando, como garantir isso? Considerando que da Manu o TP foi arrastado, se isso se repetisse, ela com certeza me diria para ir para uma cesárea. Refleti e conclui que tb não seria com ela que faria meu pre natal.

Um ano depois, resolvi marcar uma consulta com uma das GO da clinica onde atende a pediatra da Manu. Todos la são adeptos do PN, nada xiitas, mas bem humanizados, so fazem cesárea em ultimo caso, a equipe eh completa, tem ate enfermeira obstetra...me senti segura que era la que deveria ir para ter meu tao sonhado VBAC. O ponto ruim: não atendem convenio...e ai comecei a me programar financeiramente para isso.

Assim que engravidei, voltei a essa GO e com ela segui meu pre-natal. Todas as consultas conversávamos sobre parto, relatava minha experiência com a cesárea, meus traumas e frustrações. Fiquei feliz quando escutei da medica que se com a Manu eu cheguei a 6cm, então era pq meu corpo
estava preparado para um PN, que se eu tivesse com uma equipe boa na época da Manu e tivesse insistido um pouco mais, talvez o desfecho teria sido diferente. Isso me deu mais força em acreditar que era possível e que eu estava no caminho certo.

A gravidez seguiu como previsto, tive todos os enjoos, sonos, mal estares esperados, engordei além do esperado, male male lembrava de tomar a vitamina (gente segundo filho já sofre desde a barriga, kkk), e tinha contrações de treinamento fortes e doloridas desde a 20 semana..mas de resto, pressão boa, nada de diabetes gestacional, e bebe sempre no percentil 70.

A partir da 30 semana, comecei a ter um sangramento que ia e vinha a cada 10 dias. Exames mil e nunca descobríamos o que era, já que nos USG dava sempre td ok e o Lucas sempre estava ótimo. Com 35 semanas tive outro sangramento e desta vez começaram a sair coágulos e mais coágulos. Na consulta de 36 semanas a medica me virou de ponta cabeça para tentar descobrir a origem do sangramento,  e viu que eu já tinha perdido o tampão e estava com 2cm de dilatação. Ate brincou, pedindo para o Lucas esperar mais uma semaninha para ficar a termo e estar 100% formadinho.

E não eh que ele obedeceu? Na quarta-feira, dia 04 de fevereiro, aproveitei que o marido estava de folga e pedi para ele ir comigo no cabeleireiro, queria cortar o cabelo antes do Lucas nascer, aproveitamos que a Manu estava na escola e ainda conseguimos pegar um cineminha. A noite, estava me sentindo esquisita. Disse para o marido que ia me deitar cedo pois não estava me sentindo bem. Lembro de antes de dormir pensei que seria um dia bonito se o Lucas nascesse no dia seguinte, quando completasse 37 semanas, dia 05/02/2015, cuja numerologia da 6, numero bom se não me engano...sou leiga nisso...serio, na véspera eu pensei na numerologia, fala serio.

As 2h30 acordei com contrações mais fortes, mais fortes e regulares do que já vinha sentindo...há pelo menos uma semana vinha tendo contrações mais fortes, mas bem irregulares. Na hora que me levantei deu vontade de ir ao banheiro. Bingo, Lucas estava vindo. Sabia pq com a Manu foi igual, entrei em TP após ter tido vontade de ir ao banheiro. Comecei a arrumar as coisas pra maternidade (juro que esperava que ele fosse nascer no Carnaval e não antes) e de repente senti um liquido escorrer..era a bolsa que estava se rompendo. Não rompeu de vez, nada de ploft e um mar de agua escorrendo, não ela escorria mais qdo vinha as contrações. Isso era quase 3h00.

Acordei o marido, pedi para ele arrumar a malinha da Manu..e fui tomar um banho. Assim que sai, liguei para a medica e pro meu pai. Pedi que ele me encontrasse na maternidade para pegar a Manu. Marido achava que era mais fácil levar a Manu pro meu pai e de la ir pra maternidade. Foi quando meu lado onca se aflorou e eu disse: NAO, eu já estou com muita dor, as contrações estão vindo uma atrás a outra, não vou aguentar sobreviver a todos os buracos do asfalto com contração. Me leve pra maternidade.

Assim que chegamos ainda fiquei sofrendo na recepção ate ser chamada. Pareceu uma eternidade. Era engraçado ver que eu era a única com contração, que fazia careta e gritava baixinho a cada dor, enquanto todas as outras gravidas, estavam la, lindas, de cabelo escovado, unhas feitas, esperando serem internadas para suas cesáreas. Eu la, com toalha entre as pernas, descabelada, rebolando no meio da maternidade. Confesso, PN não eh nada glamuroso.

Assim que entrei pra triagem, minha medica chegou com a Doris, a enfermeira da equipe, e me examinaram: 3 cm de dilatação, as 4h00 da madruga. Confesso que na hora bateu um pequeno desanimo, pq na Manu eu tb tinha chegado com 3 cm e pensei, ai santo, la vem um TP longo e arrastado.

Mas não, me enganei, uma hora depois já estava com 5cm e outra hora mais, com 8cm. Assim que subi pro pre parto, vagou um delivery room da maternidade e la fui eu, para aquela salona, toda preparada para PN. Nem acreditei na minha sorte, pq a maternidade estava lotada (como todas tem estado ultimamente). Assim que cheguei no delivery, a Doris me colocou na banheira..deu uma boa relaxada, mas nem tanto, pq não achava uma posição mega confortável, então a cada contração a dor vinha com tudo. Mas valeu, pq a agua quentinha ajuda, vc meio que esquece que esta em TP.

Sai da banheira e fui pra bola, ai que o bicho pegou, já estava com 8cm, contrações vinham em carreata, uma atrás da outra, menos de um minuto entre elas, ou seja, male male conseguia relaxar entre elas e já vinha outra. Lembro nitidamente da Doris me dizendo que contração eh sinônimo de concentração. Ou seja, eu não podia me desesperar nem perder o foco...a cada contração eu tinha que concentrar na respiraçao e imaginar que isso estava ajudando o Lucas a nascer. E era o que fazia. Claro, sou humana e teve algumas que gritei e olhei bem fundo nos olhos da Doris e disse: não to mais aguentando..mas estava, nem imaginei a forca que surge dentro da gente numa hora dessas.

As 7h chegou o anestesista - nunca cogitei ter meu VBAC sem anestesia, sei muito bem meu linear para dor e confesso que com 8cm já estava no meu limite de tolerabilidade - O difícil foi ficar imóvel durante as contrações para que ele aplicasse a anestesia.

O legal da anestesia que ele aplicou eh que ela não cortou a dor, não, eu continuava sentindo as contrações, mas se antes a dor estava nível 9, agora ela ficou nível 5..ou seja, doíam um pouco, mas super tolerável. Com isso eu continuava sentindo meu corpo trabalhar, sentia as contrações, as dores e, o melhor de tudo, pude sentir meu corpo no expulsivo.

Uma hora e meia após a anestesia, atingi dilatação total. Meu expulsivo foi longo e cansativo, pouco mais de 1 hora fazendo força...a cabecinha do Lucas descia com a contração, coroava e subia qdo ela passava...com quase 1 hora nesse vai e vem a medica foi taxativa e disse, Renata, preciso que vc faça o máximo de força de vc conseguir nos próximos 20 minutos, se não terei que usar o fórceps de alivio, pois o Lucas já esta muito tempo no expulsivo.

Nessa hora, apesar do cansaço, eu tirei forças não sei de onde, assumi meu lado Incrivel Hulk, e após 3 contrações ele nasceu...nasceu com duas circulares de cordão e olhando para cima/pra frente. Ou seja, a cabecinha dele não estava encaixadinha, tipo queixo no peito, estava pra cima, e foi por isso que o expulsivo foi tao longo, pq qdo o bebe nasce assim, o diâmetro da cabeça aumenta.

A sensação de sentir o bebe sair de dentro de vc, eh maravilhosa...amei. Amei mais ainda ao escuta-lo, um choro alto e forte. Lucas nasceu, nasceu bem. E eu, eu chorei!

Na sequencia pari a placenta. E foi então que descobrimos a origem do meu sangramento, de uma veinha micro da minha placenta.

Assim que nasceu, Lucas já  veio para meu colo. O pediatra da maternidade examinou ele no meu peito e la ele ficou. So depois de um tempão eh que a enfermeira pegou ele para pesar e logo me devolveu para mamar. Ficamos la, mais de 2 horas, eu, ele e o maridão. Marido tb teve a oportunidade de cortar o cordão assim que ele terminou de pulsar, coisa que ele não fez com a Manu.

Posso dizer que valeu toda dor, todo o esforço, tudo...foi lindo, foi emocionante e faria tudo de novo. Agradeço a Deus por ter conseguido, por ter tipo a oportunidade de vivenciar o parto de outra forma, de uma forma digna, natural, com o mínimo de intervenção, mas principalmente, por ter conseguido comprovar que eu era capaz de parir. Hoje posso dizer que tive as duas experiências de parto e se alguém me perguntar qual eu prefiro, sem duvida alguma, parto normal!

Obrigada filho por ter realizado o meu sonho! Obrigada a toda a equipe medica por ter entrado comigo nessa viagem e me dito que eh sim possível.  Hoje estou realizada, nas horas seguintes ao parto, estava em extase...varias vezes me peguei rindo sozinha, talvez não acreditando no que tinha acabado de vivenciar! E se eh isso que vc deseja, não desista do seu sonho, corra atrás, se informe, e acredite, pq todas somos capazes de parir.












11 comentários:

Janaina disse...

Oi Renata! Que relato lindo!!! Ai me ajuda a conseguir meu VBAC! Me conta qual a sua médica...
Fui em 4 já que não querem muito encarar um PN dps da minha cesárea...
Bjos para família

Cantinho da Fabi disse...

que bençao Rê ... vc merecia viver isso e merece muitas alegrias ainda ...você é uma querida !!!


Rê , a anestesia é igual da cesárea ?????



Beijos

Vanessa Gomes disse...

Oiii!!!Já acompanho o seu blog a um tempo, mas nunca comentei...
Adoro cada post e esse relato foi emocionante!!!
Parabénsss!!!

Priscila A. dos Ramos Cunha Pontes disse...

Será que a sua Doris foi a minha Doris Saad? :) Eu digo que ela é minha anja loira! Com aquela voz suave e aqueles olhos azuis lindos! Ela é a melhor doula do mundo!

Re disse...

Hahahah, com certeza eh a mesma... Nunca me esqueço seja olhando me forte com seus olhos azuis e dizendo: Re, foco, foco... Não perca o foco, kkkk

Re disse...

Janaina, minha médica chama-se Erica Rades, ela atende tanto no Brooklin qto em Santo André. A equipe toda eh fantástica!

Marie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
disse...

Ah, que lindo esse relato! Tão lindo esse PN, confesso que fico no maior recalque por não ter conseguido ter a Rebeca de PN #mimimi

Parabéns por ter conseguido seu tão sonhado parto.

Beijocas

Janaina disse...

Obrigada!!! Vou voando me consultar com ela! Depois de um relato desses eu nao perdi a esperanca! Obrigada por compartilhar!!! E parabéns!!!! Bjo

Ananda Etges disse...

Oi Re! Eu te acompanho desde a gravidez da Manu! Li teu relato com um sorrido imenso. Fiquei emocionada! E a tua expressão na foto final diz tudo! Parabéns, querida! Muita saúde para vocês!

Beijos, Ananda
http://www.projetodemae.com.br

Casamento feliz disse...

oi amiga
amanhã é seu niver ... desde já vou deixar meus parabéns ... Beijokas