quarta-feira, 17 de abril de 2013

Ser ou estar agressiva

Como disse no post anterior, Manu teve alguns episódios de agressividade durante o feriado e isso me fez levantar um orelhinha de alerta. Vira e mexe ela batia em mim ou na minha sobrinha que eh da mesma idade que ela. So em nos duas, em mais ninguém. Disse mil vezes não pode, outras cem vezes pra pedir desculpas, coloquei de castigo, fui firme, mas mesmo assim voltei de la me questionando se aquilo era normal.


Aproveitei a minha sessão de terapia na segunda-feira pos feriado e levei o assunto pra minha terapeuta, que na lata já disse que a Manu esta dentro do esperado pra idade, que pelo que eu descrevo ela não é uma criança agressiva e sim tem episodio de agressividade e que isso eh normal e esperado. Também consegui concluir que a Manu tem esses episódios em alguns momentos: qdo esta super excitada com alguma coisa e ela não consegue conter a excitação, quando esta frustrada seja por não conseguir fazer alguma coisa, seja por não ter a sua vontade atendida e, quando sente ciúmes.

Também conversei com a professora da Manu. Perguntei como era a Manu la, se ela era agressiva na escola. E ela repetiu o que a minha terapeuta disse, que ela não é uma criança agressiva, mas que tem sim momentos em que isso aflora. Disse ainda que todos na sala estão passando por isso, inclusive com alguns alunos bem mais da pa virada que ela e que esse trimestre, o trabalho dela, esta sendo justamente trabalhar isso, a sociabilização da turminha. Dai perguntei em que momentos ela observava mais esses ataques da Manu e, bingo, ela me descreveu exatamente os momentos que eu já tinha percebido e disse acima. Ufa, pelo menos minhas observações não estavam fora da curva.

Depois dessas conversas mudei um pouco meu modo de agir com a Manu. Primeiro, ensinei ela a pedir ajuda quando não conseguisse fazer alguma coisa. E isso surtiu efeito na hora. Antes de ter um ataque de cólera, ela hoje já grita: Ajuda mamãe..e la vou eu ajuda-la. Com isso, já reduzi bem os ataques gratuitos dela. Também, qdo ela quer me agredir por não ter algo ou por se sentir ameaçada (seja por ciúmes ou por medo), eu me abaixo a sua altura e digo: Eu sei que vc esta bla bla bla....., mas não pode bater. Vem cá, vamos fazer isso...ou vem cá, deixa a mamãe .... E isso tb esta ajudando, pq ela para pra ouvir, eh como se eu estivesse ensinando para ela o que ela esta sentindo naquele momento.

Claro. Isso tem ajudado e muito nas agressões, mas mesmo assim, ainda tem dias que rola um castigo, afinal, nem sempre o bla bla bla surte o efeito desejado, ne? O importante é que agora eu sinto que estou no caminho certo ou ao menos o que eu acho certo para mim e para ela.





3 comentários:

Minha Filha Minha Vida disse...

é bem engraçado pq fui lendo e estava pronta para dizer exatamente o que vc disse a terapeuta e as tias da escolinha kkkk pois bem estou lendo um livro "a criança mais feliz do pedaço" e ele ensina uma certa parte do livro exatamente isso que vc faz do bla bla bla e é exatamente isso demosntar que vc entende o que ela esta sentindo 9aqui tb rola castigo mas tb ta dando muito certo)

beijo enorme

Cláudia Leite disse...

Muito esclarecedor seu post, com o comportamento, depois as opniões de especialistas e depois sua atitude com relação a tudo!
Obrigada por partilhar suas atitudes, eu ás vezes ficava sem saber o que fazer, vou tentar usar as suas dicas.

bjão!

Ale Quejinho disse...

Muito bacana seu blog, gostei. Só não dá tempo de comentar todas as vezes. Com dois filhos o tempo é bem curto, mas enquanto dou mamá pra princesa, consigo ler no Ipad.
bexos
Qjo