terça-feira, 21 de agosto de 2012

Sem marido e filha

O marido, pelo menos a cada 15 dias, pega um sábado ou domingo para ir surfar ou andar de bike com os amigos. Ele vai. Eu fico com a Manu. Ele sempre fez isso, desde que namorávamos. Nunca me importei, como não me importo hoje. Acho muito saudável que ele tenha um tempinho seu, com seus amigos.

Quando minha mãe era viva, aproveitava essas escapadas dele para curtir minha mãe. Iamos ao shopping, almoçávamos juntas, pegávamos um cineminha...mas hoje, sem ela, confesso que a ausência do marido pesa mais, pq fico muito só, só eu e a Manu. Marido sente isso tb, tanto que ele se cobra por me deixar sozinha, mesmo eu nunca ter falado isso pra ele. E fica toda a hora batendo na tecla, dizendo que nesses dias eu tinha que sair com as minhas amigas.

Mas vou além, na terapia entendi que mesmo não me importando com as saídas dele, no fundo, no fundo, eu tb gostaria de ter um dia só pra mim, sem marido e sem filha. Um dia para sair com as minhas amigas, pegar um cineminha, almoçar num restaurante show..enfim, um dia para ser mulher, sem ser mãe e esposa.

O problema eh que se para os homens-pais a escapada eh algo simples, pq eles conseguem se desligar num piscar de olhos, para as mulheres-mães, não eh assim tão fácil. Vivia dizendo isso para ele e ele achando que eu que estava criando caso, que não estava me esforçando. Ate que num encontro de nossa turma de amigos, joguei a pergunta para as mulheres, todas mães, se elas topariam deixar os filhos com os maridos num sábado, pra gente almoçar e pegar um cineminha.

A reação foi diversa, uma disse que não conseguiria ficar longe da filha, outra disse que ate duas horinhas não teria problema, outra topou, mas teria que ver com a agenda concorrida do marido...enfim...um dia inteiro como faz o meu marido seria algo inviável...sonho meu!

Onde eu quero chegar eh que não adianta, mulher eh mulher, homem eh homem e, uma vez que viramos mãe, esse papel nos acompanha ate num almocinho de 2 horinhas cronometradas com as amigas, com o celular a postos sobre a mesa esperando qualquer pedido de socorro do marido.

11 comentários:

Danielle disse...

isso é um neura de toda mãe né? tbm morro de vontade de sair pra "ser mulher", mas não consigo, um dia inteiro jamais, só algumas horinhas mesmo e ainda assim ligando pro marido de hora em hora pra saber das coias.

Bárbara E. disse...

Com certeza, nos mães precisamos de um dia para "tranquilizar a cabeça" né. Mas isso pra nos é super dificil.

Minha Filha Minha Vida disse...

triste realidade !!!!

bju

Cláudia Leite disse...

Verdade neh?
Pra eles é simples se ausentar 1 dia todo, para nós é mt difícil, até para nós mesmas.
Eu nunca saí sem a Isabella, a não ser para trabalhar, tirando isso tudo é com ela, até médico e tal. Mas não porque eu não faria, mas porque meu marido machista não acha qe deveria ficar com ela... triste...
Ao menos vc tem um grande cmpanheiro ao seu lado que te escuta.

Nos conte se vc conseguir dar uma escapadinha.

bjo.

Elaine Poubel disse...

É bem assim mesmo...eles se desligam totalmente. Eu não consigo deixar o Enzo com o pai e sair, porque acho que ele não vai fazer as coisas direito, embora ele me garanta que sim, de fato ele me ajuda muito nos cuidados com o neném, mas é meio desastrado. Não sei porque mais acho que o Enzo vai sentir minha falta e ficar chorando... Enfim acho tanta coisa...tenho tantas ??? que no final acabo ficando em casa. Nem para fazer o cabelo eu deixo ele com o pai...espero a avó ter tempo disponivel, acho que com ela está tudo sob controle. É isso...tomara que essa fase passe. Em contra partida acho esse tempo livre (de marido e filhos) essencial para nossa vida. Bjos

Raphaela Cavalheiro disse...

É Rê, pelo que escuto e vejo com minhas amigas, é assim mesmo, mas nem faço ideia ainda de como será. Mas é uma coisa que eu gostaria de fazer, ter um tempinho meu, onde a Raquel vai curtir o papai, pq não?!
Quando conseguires esse feito, vem contar pra gente saber como foi.
Beijão

Ananda Etges disse...

Esses dias eu disse pro marido que queria um dia todinho meu e ele riu, como se fosse algo de outro mundo! Mas é bem assim mesmo, a gente não consegue se desligar... já eles... hehehe, desconectam rapidinho!

Beijos, Ananda.

http://projetodemae.wordpress.com/

Vi disse...

Aqui em casa, em razão do meu trabalho, o marido passa a tarde toda com o bebê. No primeiro dia quase morri de preocupação. Hj eles se viram super bem. Acho que a gente tem que desapegar tb e parar de achar que eles são incapazes, porque não são... Mas reconheço que é difícil!

Mamãe do Otávio disse...

É nessas horas que eu vejo como homem é egoísta!
Eu até sairia um dia todinho com as minhas amigas, mas tenho certeza que o celular ia tocar taaaaantas vezes que ficaria impossível de desconectar!

bjos

Fernanda Lucas disse...

Ai amiga posso dizer que eu consigo deixar o dia todo sem problema e sem culpa viu!
Aliás, deixo a Isa dormir na vovó um final de semana por mês para poder aproveitar só marido, e deixo a Isa numa boa om meu marido para passar um dia inteiro com as amigas.
Acho saudavel, necessário e eu priorizo pelo menos um diazinho no mês inteiro só pra mim rs.
Se precisar de cia, me chama que fácil, fáci eu passo o dia com vc.
bjo

(Mamãe) ~Pinel disse...

Confesso que eu já fiquei algumas vezes, o dia inteiro (e até um final de semana inteiro) sem a Lara.
O coração apertadinho, celular em mãos, mas o alivio de poder ir ao banheiro, tomar banho ou mesmo assistir um seriado sem levantar nenhuma vez compensa a saudade!
Até porque quando as vemos de novo, estamos renovadas e o encontro é um máximo!

Você realmente devia tentar!