sábado, 4 de junho de 2011

Vô coruja!




Desde que eu engravidei, imaginava como seria me tornar mae, sem a minha mae por perto, sem te-la ao meu lado me ajudando, dividindo as tarefas comigo, me ligando para saber como estava, enfim, me fazendo aquela companhia que só mae sabe nos fazer.

Admito que desde que a Manuela nasceu, muitas foram as vezes em que eu chorei com ela em meu peito desejando que minha mae estivesse aqui, desejando que ao menos eu pudesse sonhar com ela so para amenizar a saudades e a falta que ela estava fazendo naquele momento. Ainda choro, ela continua fazendo falta para mim nesse momento e eu continuo desejando que ela nao tivesse ido embora no ano passado, mas foi e em meio as lagrimas, em meio a saudade a gente descobre que se a Manuela perdeu uma avó sem antes te-la conhecido, ela ganhou um avô mais presente do que pudesse imaginar: meu pai!

Meu pai mudou muito depois que minha mae faleceu, ele esta aprendendo a ser mais presente, a fazer o papel de pai e de mae, mas esse pai-avô eu nao conhecia, eu nao o vi agindo assim com minhas sobrinhas (ele tem mais 3 netas), ele esta um vo coruja. Ele me liga pontualmente todos os dias as 9 da manha so para saber como a neta passou a noite, saber se ela dormiu bem, se eu estou precisando de alguma coisa, saber como eu e ela estamos nos entendendo...enfim, ele esta sendo a minha mae e eu estou amando isso.

So pra vcs terem uma ideia, ele tem pavor de segurar recem nascido (nem os proprios filhos ele segurou), mas com a Manuela eh diferente, sempre que ele vem aqui em casa, ele quer pega-la no colo e fica lá, namorando ela. Uma graça de ver.

Manuela pode nao ter mais uma avó, mas ela ganhou um super avô, isso eu tenho certeza. Pai, obrigada por ser meu pai, minha mae e avô-avó da sua neta. Tenho certeza que vcs ainda vao se divertir muito juntos! Te amo.

8 comentários:

Caroline Pozzatti disse...

ah, que linda voce.
Me emocionei muito com seu post e com a foto.
A minha mae faleceu quando eu tinha 9 anos, talvez eu nao sinta a mesma falta que voce sente da sua mas com certeza vou babar muito vendo meu pai namorando o Benjamin.
Adorei!
Super beijo!

Bianca disse...

Rê, que lindo o seu relato! Eu tb senti muuuita (e ainda sinto) falta da minha mãe depois que me tornei mãe, mas tenho certeza que elas aonde estiverem, estão muito orgulhosas de saber que somos mães maravilhosas, rs!!
beijo querida e bom finde

Renata disse...

Nossa, estou aqui aos prantos com esse post!!! Que lindo ele te ligar todo os dias pontualmente, achei isso a coisa mais fofa do mundo!!!!
Bjinhos, Re

Funny Paper disse...

Vô é pra isso mesmo...para corujar a neta... muito fofo esse vô da Manuela!

Bjs

Sil

Talita disse...

Nossa, como tô chorando com seu post.
Tenho pai e mãe ainda aqui, mas o aqui não é na mesma cidade que eu. Recebo telefonema todo dia, mensagens no msn, até mesmo no blog, mas sinto falta da presença.
Lindo ver seu pai assim, lindo mesmo!

Beijosss

Alê disse...

Me emocionei Rê... Meu pai é tão durão sabe?! Espero que a netinha que chega em outubro possa amolece-lo e que ele, assim como o seu, torne-se um vovô coruja. Imagino como deve ser gratificante pra ti... Dois beijos queridona. Dá um pra Manu tá? Ale.
www.minhaprimeiragravidez.com

Mamãe du Dudu disse...

Re... li em 1 dia todo o seu Blog (meu Divã) e sei bem o que vc passou. Certamente, todas as suas conversas com seu pai, para que ele tentasse ocupar a lacuna que sua mãe deixou, serviu para que ele mudasse. E que bom que você o tem presente.
Aproveita esses momentos e deixa ele curtir muito a bonequinha!!!!
Beijos,
Fer
http://coisasdududu.blogspot.com/

artes MDF disse...

Lindo seu cantinho Parabéns
qndo puder me faça uma visita. Abrass Renato

http://lucrearte.com/atacado/